Denominamos retalho o segmento da pele e subcutâneo com um seguimento vascular próprio, que será movido de uma área para outra, com a finalidade de preencher uma ferida cirúrgica.

Quando se cria uma ferida cirúrgica, pela retirada de um tumor cutâneo, o primeiro passo é tentar removê-la com fechamento primário das bordas. Se o defeito criado pela ferida cirurgia for muito grande, não se consegue aproximar as bordas e há necessidade de fazer um retalho ou enxerto de pele.

A reconstrução pode ser realizada ao mesmo tempo cirúrgico ou deixada para um segundo plano, quando as condições clínicas do paciente não forem favoráveis.